MOVIMENTO #JÁFUIJULGADA FAZ REFLEXÃO SOBRE COMO A SOCIEDADE TRATA A MATERNIDADE



#JÁFUIJULGADA FAZ REFLEXÃO SOBRE COMO A SOCIEDADE TRATA A MATERNIDADE
Movimento tem como objetivo coletar histórias e fomentar a discussão sobre como as decisões maternas são avaliadas pelos outros

Você já conhece o movimento #Jáfuijulgada, idealizado por um grupo de mães publicitárias, jornalistas e relações públicas? O objetivo da ação é apresentar histórias vivenciadas pelas mães e fomentar a reflexão sobre julgamentos e cobranças direcionadas às mulheres no exercício da maternidade, estimulando a compreensão e a empatia do público.

A motivação para a criação do movimento veio da recorrência de experiências pessoais e de mães próximas, além do acompanhamento de diversas publicações de influenciadoras. Outro fator foi o recente levantamento feito pelo Instituto Qualibest e pelo site Mulheres Incríveis, no qual mais de 70% das respondentes disseram se sentir julgadas ou cobradas no exercício da maternidade.

No movimento , as mães são convidadas a participar postando suas histórias com a #jafuijulgada em qualquer rede social. O projeto também conta perfis oficiais no Facebook e no Instagram, nos quais serão disponibilizados diversos conteúdos para reflexão e compartilhamento.

MANIFESTO #JAFUIJULGADA
Um movimento que pede empatia entre as mães. Todas as mães, independente de suas crenças e valores.

Escolhas pessoais sempre dividem opinião e quando isso se refere à criação dos filhos, as convicções e questionamentos se intensificam tanto, que passar para julgamentos é quase automático. É um exercício difícil não olhar para os outros com a nossa régua, com as nossas regras. Mas é isso que as mães precisam. Sororidade na vida materna, neste novo momento da vida, que é tão fascinante e ao mesmo tempo complexo e trabalhoso. 

Queremos coletar tantas histórias de julgamento quanto for possível, mostrando que essa realidade é cruel e avassaladora. Ousamos dizer que TODAS as mães já foram julgadas e que, nem que seja só em pensamento, já julgaram também. 

Por isso, não temos a pretensão de acabar com isso neste movimento, mas de mudar pelo menos um pouco esse cenário. Se a gente conseguir levar essa reflexão para algumas mães e salvar um ou outro julgamento antes dele se concretizar, nossa missão estará completa. Contamos com você para espalhar essa proposta. Vamos nessa, sem julgamento?








Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário