Coceira prolongada pode ser sintoma do problema


Durante o início do ano é comum que haja aumento nos casos de crianças com piolhos. Isso acontece devido ao período de volta às aulas, quando os pequenos retornam ao convívio com outros colegas. Caso um deles esteja com a infestação, o problema é facilmente propagado, por conta das atividades e da proximidade das crianças nas brincadeiras e tarefas escolares. Saiba abaixo como identificar os piolhos e qual a melhor forma de eliminar o incômodo.




Sintomas
A coceira pode ser sinal de vários problemas, como caspa, fungos, outros tipos de dermatites e piolhos.  Se a criança reclamar de coceira, os próprios pais podem fazer um exame e checar o cabelo dela. Os piolhos, apesar de pequenos, são visíveis no couro cabeludo; e para as lêndeas, que são os ovos deixados pelos piolhos nos fios, pode-se ainda utilizar um pente fino para fazer uma checagem mais apurada. Outro ponto para perceber a infestação é olhar roupas de cama, toalhas e locais onde a criança costuma encostar a cabeça, pois possivelmente poderão conter vestígios do problema.

Tratamento
Hoje, felizmente, não é mais necessário raspar os cabelos para se livrar dos piolhos. Já existem loções, shampoos e até sabonetes no mercado, que podem ser usados durante ou após o banho para eliminar os parasitas. Sua aplicação deve ser feita conforme orientado na pela bula do produto escolhido e deve-se sempre utilizar o pente fino para auxiliar a retirar as lêndeas, que costumam ser mais resistentes.

Check-up semanal
Caso exista algum caso próximo ou após a eliminação do problema, a recomendação é que os pais verifiquem a cabeça de seus filhos imediatamente e ao menos uma vez por semana, pois o controle é mais simples nos primeiros dias.

Cuidados redobrados
Dentro de casa, alguns cuidados também podem ser observados em relação a objetos pessoais ou de uso compartilhado. Recomenda-se lavar todas as roupas de cama e toalhas em água quente, fazer uma limpeza reforçada em objetos que não podem ser lavados com facilidade, como bancos do carro, sofá e mochilas. O que não for possível higienizar, deve ser colocado em sacos plásticos por pelo menos 72 horas, pois os piolhos podem sobreviver até 48 horas fora do corpo humano, até mesmo dentro da água da piscina.



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário